terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Relógios Citizen e a sua Hístória


Os relógios Citizen têm as suas raízes na antiga empresa Shokosha Watch Research Institute, fundada em Tóquio, no Japão, em 1918. Um dos maiores produtores mundiais de relógios, adoptou a sua actual designação em 1930 ao tornar-se a Citizen Watch Company.


Foi apenas seis anos depois da sua fundação que a empresa produziu o seu primeiro relógio de bolso. O sucesso do modelo, baptizado de “Citizen” e lançado em 1924, foi um bom augúrio e a empresa altera a sua designação para Citizen Watch Company em 1930. No ano seguinte, a Citizen mostra ao mundo o seu primeiro relógio de pulso.


Em 1956 é lançado o “Parashock”, o primeiro relógio anti-choque a sair do Japão e que impulsionou uma série de testes radicais para testar e melhorar a performance dos relógios Citizen. Em 1959, segue-se o “Parawater”, o primeiro relógio japonês resistente à água. Em 1960, a empresa faz história no país com o lançamento do “Citizen Shine”, um relógio para cegos que foi doado à Escola para Cegos de Nagoya. Em 1963, realizaram um teste trans-pacífico com o relógio “Parawater” e, no ano seguinte, foi criado o Instituto de Pesquisa Técnica. Em 1966, a Citizen lançou o “X-8”, o primeiro relógio electrónico japonês.


A pesquisa, os ensaios e os avanços continuam e, em 1971, a empresa funda a Divisão de Precisão Mecânica que, em 1973, apresenta o relógio de quartzo “Citizen” e inicia a produção deste tipo de timepiece em 1976, ano do lançamento da “Solar Cell”, o primeiro relógio analógico do mundo movido a energia solar.


1978 foi um grande ano para a Citizen que, para além de apresentar o “Exceed Gold”, o primeiro relógio de quartzo do mundo cujo movimento tinha uma espessura mais fina do que 1mm. No mesmo ano, a Citizen lançou ainda o “Digi-Ana”, o primeiro relógio de combinação alguma vez produzido no Japão. Em 1982, a Citizen cria o “Professional Diver”, um relógio resistente à água, até 1300 metros de profundidade.


Entre 1983 e 1984, a Citizen dedica-se a outras áreas, com a produção de termómetros electrónicos e de disquetes (produziram as primeiras a circular pelos computadores do mundo inteiro!), mas volta as atenções para os relógios em 1986 quando inicia a sua participação na Basel Fair, na Suíça, a maior feira internacional de joalharia e relojoaria. Nesse mesmo ano, a Citizen torna-se o maior produtor de relógios de pulso (de movimento) no mundo. No ano seguinte faz furor com a apresentação do “Attesa”, um relógio produzido exclusivamente com titânio.


A década de 90 é igualmente rica para a japonesa Citizen que, para além de produzir o primeiro relógio controlado por rádio multi-zona, lança a impressora mais pequena e mais leve do mundo (a "PN60") e apresenta o modelo “The Citizen” que inclui uma garantia de 10 anos. A empresa inicia ainda a distribuição daquele que é hoje um dos seus modelos mais procurados – o relógio “Eco-Drive”, que funciona à base da luz. Em 1999, a Citizen torna-se empresa certificada (ISO 14001).


A viragem do século traz várias novidades para a Citizen que aposta fortemente no design com a criação dos modelos “Campanola” e “Mu”. Para além de transferir a sede de Tóquio para a cidade de Nishitokyo, a empresa continua a impressionar o mundo relojoeiro com os seus avanços tecnológicos, classe e bom gosto. As suas diferentes colecções – Aqualand, Calibre 2100, Calibre 8700, Chronograph, Eco-Drive, Minute Repeater, Nighthawk, Naútica, Professional Diver, Promaster e Radio Control – oferecem timepieces que vão dos €150 aos €700.


Sempre com um papel social muito activo, a Citizen tem estado ligada a muitos eventos importantes, incluindo maratonas, o America's Cup, a Expo 2005 e é o relógio oficial da US Open Tennis Grand Slam

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário